Trump tem vitória recorde em primeira prévia das eleições dos EUA; DeSantis fica em 2º lugar

Donald Trump obteve uma vitória recorde na primeira prévia das eleições americanas, realizadas no estado de Iowa, nesta segunda-feira (15).

O ex-presidente venceu as convenções republicanas do estado por uma margem sem precedentes, dando início à sua tentativa de obter a terceira indicação presidencial do seu partido.

Trump atingiu esse resultado mesmo após não comparecer aos debates do Partido Republicano.

O governador da Flórida, Ron DeSantis, superou a ex-governadora da Carolina do Sul, Nikki Haley, para um distante segundo lugar – embora a disputa pela indicação agora mude para New Hampshire, onde as pesquisas mostram Haley em uma posição muito mais forte nas primárias da próxima semana.

A CNN projetou a vitória oficial de Trump, que já garantiu mais de 50% dos votos (20 delegados), contra 21% do governador da Flórida, Ron DeSantis (8 delegados), e 19% da ex-governadora do Carolina do Sul, Nikki Haley (7 delegados). Em terceiro lugar, aparece o empresário Vivek Ramaswamy, com 7% dos votos (3 delegados)

DeSantis e Haley devem terminar oficialmente em segundo e terceiro lugares, respectivamente.

A primeira prévia do partido Democrata, do qual o atual presidente dos EUA, Joe Biden, faz parte, será no dia 23 de janeiro em New Hampshire.

Trump agradece Iowa

Trump agradeceu “ao grande povo de Iowa” e parabenizou seus concorrentes depois que a CNN projetou que ele venceria as prévias de Iowa.

“Eu realmente acho que agora é hora de todos, nosso país, se unirem”, disse ele. “Queremos nos unir, seja republicano, democrata, liberal ou conservador”.

O empresário Vivek Ramaswamy anunciou que abandonou sua campanha presidencial na festa de sua campanha em Des Moines, cidade em Iowa.

“Acho que é verdade que não conseguimos a surpresa que queríamos entregar esta noite”, disse ele. Ele também apoiou Trump e disse que planeja participar de um comício com o ex-presidente em New Hampshire na terça-feira.

DeSantis comemorou o segundo lugar, dizendo aos eleitores: “Recebemos nossa passagem em Iowa” e disse que sua campanha representava esperança para o futuro do país.

Haley espera obter melhores resultados nas primárias de New Hampshire na próxima semana. A pressão está aumentando sobre ela para obter uma vitória ali, disseram fontes próximas à sua campanha à CNN.

Ela também atacou Trump e o presidente Joe Biden e argumentou que os americanos não querem uma revanche entre os dois. Nas suas observações, Haley disse que o país quer uma nova geração de liderança.

Ron DeSantis em 2º lugar

O governador da Flórida, Ron DeSantis, aplaudiu os eleitores de Iowa por ajudarem a levá-lo ao segundo lugar nas convenções de Iowa.

Ele disse que aprendeu durante a campanha que as pessoas querem esperança para o futuro do país – e foi isso que a sua campanha representou.

“Eles jogaram tudo em nós, menos a pia da cozinha”, disse DeSantis. “Eles até convocaram a eleição antes mesmo que as pessoas tivessem a chance de votar”, acrescentou, sob vaias da multidão.

“Por causa do seu apoio, apesar de tudo o que eles jogaram contra nós, todos contra nós, tivemos nossa passagem para fora de Iowa”, disse o governador.

Com cerca de 90% dos votos relatados, DeSantis derrotou por pouco a ex-governadora da Carolina do Sul, Nikki Haley, pelo segundo lugar, ganhando mais de 21% dos votos.

DeSantis encontrou seu progresso nas últimas semanas na campanha – abandonando suas referências frequentes às guerras culturais, mostrando sua afabilidade em entrevistas com os principais meios de comunicação que ele ignorou durante a maior parte da corrida e se concentrando em uma mensagem final.

Ramaswamy consternado

Um porta-voz da campanha presidencial de Vivek Ramaswamy expressou consternação com o resultado e disse que a campanha está “digerindo e determinando” à medida que olha para a próxima fase.

Tricia McLaughlin, conselheira sênior da campanha de Ramaswamy e diretora de comunicações, disse que a campanha está decepcionada com os resultados do caucus de Iowa na segunda-feira, apesar de Ramaswamy prever que traria um “choque ao sistema” com um desempenho forte.

“Deixamos tudo em campo”, disse McLaughlin. “Obviamente estamos decepcionados com o resultado, mas Vivek é duro.”

“Nossos dados revelam algo muito diferente”, disse McLaughlin sobre as expectativas da campanha em Iowa.

Ramaswamy já havia anunciado eventos de campanha em New Hampshire começando na terça-feira e continuando todos os dias até as primárias de New Hampshire em 23 de janeiro.

McLaughlin confirmou que fará campanha em New Hampshire esta semana, mas disse que sua programação de eventos pode mudar, citando complicações logísticas com a manutenção o ritmo de alta intensidade da campanha na preparação para os caucuses de Iowa.

“É hora de desistir”
Uma série de membros pró-Trump e do Partido Republicano disseram à CNN na segunda-feira (15) que a vitória do ex-presidente Donald Trump em Iowa deveria enviar um sinal claro aos seus rivais republicanos: é hora de desistir.

“Tem sido real. Você sabe, dê uma gorjeta às suas garçonetes na saída, mas esta primária acabou”, disse o deputado Matt Gaetz, da Flórida, à CNN na festa de observação de Trump em Des Moines na noite de segunda-feira

“Donald Trump consolidou o Partido Republicano. Ron DeSantis estava encaminhando sua correspondência para cá. Como se ele tivesse se mudado para cá. Qual é o seu argumento para continuar esta campanha?”, disse Gaetz.

A deputada Marjorie Taylor Greene ecoou esse sentimento. “Eles deveriam desistir”, disse o republicano da Geórgia. “Acho que o dinheiro dos doadores é realmente importante. E os consultores políticos são muito bons em convencer os candidatos a permanecerem nas eleições por muito mais tempo do que realmente deveriam”.

O deputado Ronny Jackson, do Texas, disse à CNN que acha que Iowa é um ponto de viragem para a corrida e espera que mais dos seus colegas republicanos no Capitólio agora se alinhem atrás do ex-presidente e o apoiem.

“É inevitável para mim que ele seja o indicado. E eu só quero ver meus amigos e colegas concordando”, disse Jackson.

Gaetz, Greene e Jackson faziam parte de um grupo mais amplo de substitutos de Trump que se reuniram em Iowa para reunir os apoiadores do ex-presidente.

Deixe comentário

× Fale com a Showtime