PT enquadra “rebeldes”, interdita candidaturas próprias e deve lançar candidatos em 13 capitais

Na reta final da montagem dos palanques municipais, o PT enquadrou diretórios municipais que pretendiam lançar candidatos e avisou que a palavra final caberá ao comando nacional da legenda no próximo dia 26.

O partido enfrenta resistências locais para apoiar candidatos de outros partidos em três capitais: Rio de Janeiro, Recife e Curitiba.

“Nós do Grupo de Trabalho Eleitoral pedimos que se comunicassem aos municípios que esse acompanhamento seria feito diretamente pela direção nacional. Pedimos que todas as ações que estivessem caminhando sobre tática eleitoral aguardassem pronunciamento do diretório nacional”, disse o senador Humberto Costa (PT-PE), coordenador do GTE.

Ela nega que haja uma intervenção, mas lembra que uma resolução do PT do ano passado estipulou que a palavra final sobre candidatura nas cidades com mais de 100 mil eleitores caberá ao diretório nacional.

O caso mais problemático é o de Curitiba, onde o PT local resiste em apoiar o ex-prefeito Luciano Ducci (PSB).

“Curitiba está em suspenso. Pode ser que a direção resolva avocar para si essa questão”, disse Humberto Costa.

O deputado federal Zeca Dirceu (PT-PR) divulgou um vídeo nas redes sociais cristicando a direção nacional.

“Essa possível decisão em nada muda minha determinação de continuar defendendo candidatura própria em Curitiba. Por que alguém de cima para baixo vai nos impedir de participar de forma legítima”, questionou Zeca Dirceu.

Saiba quais são as 13 capitais onde o PT deve ter candidato

Porto Alegre
Belo Horizonte
Florianópolis
Vitória
Aracaju
João Pessoa
Natal
Fortaleza
Teresina
Manaus
Campo Grande
Cuiabá
Goiânia

Deixe comentário

× Fale com a Showtime