Justiça espanhola permite liberdade provisória de Daniel Alves sob fiança de 1 milhão de euros

O Tribunal espanhol permitiu liberdade provisória de Daniel Alves com o pagamento de fiança de 1 milhão de euros. O pedido havia sido solicitado nessa terça pela defesa do jogador. Na decisão, a Audiência de Barcelona também informou que serão retirados os passaportes espanhol e brasileiro de Alves. Além disso, ele deverá permanecer afastado da vítima do estupro.

A advogada de Alves, Inés Guardiola, argumentou que o atleta já cumpriu um quarto da pena que o tribunal impôs no final de fevereiro – o que, em caso de sentença definitiva, o habilitaria a começar a receber benefícios penitenciários – e afirmou que o brasileiro não fugiria.

A defesa propôs, ainda, possíveis medidas para facilitar a saída, como o depósito de uma fiança de 50.000 euros (54.000 dólares, 271.000 reais) ou a entrega dos dois passaportes do ex-jogador, acrescentaram as fontes.

Alves, que estava na prisão e participou na audiência por videoconferência, declarou aos juízes que não fugiria caso obtenha a liberdade provisória e que acredita na justiça, apontaram as mesmas fontes.

O Ministério Público seguia contrário à libertação do ex-jogador por considerar que o risco de fuga é elevado.

Após um julgamento com grande cobertura da imprensa, a seção 21 da Audiência de Barcelona condenou Daniel Alves a quatro anos e meio de prisão pelo estupro de uma mulher no banheiro de uma casa noturna da cidade espanhola no final de 2022.

A sentença também determina cinco anos adicionais de liberdade supervisionada, uma ordem de restrição que impede sua aproximação da vítima durante nove anos e meio e o pagamento de uma indenização de 150.000 euros (163.000 dólares. 820.000 reais).

Deixe comentário

× Fale com a Showtime