Autoridades dos Estados Unidos afirmaram que Israel aceitou, provisoriamente, neste domingo (3) um acordo de cessar-fogo de seis semanas em troca da libertação dos reféns feridos, idosos e mulheres. O grupo terrorista Hamas, no entanto, ainda não deu uma resposta.

A negociação ocorreu no Catar, no sábado (2), e recomeçou neste domingo no Cairo, mas sem a participação de Israel. A delegação do país não integrou a conversa porque o Hamas não liberou a lista de reféns que seriam libertados.

Os americanos afirmaram neste domingo que o cessar-fogo era o caminho mais direto para que a entrega de ajuda em larga escala pudesse chegar aos palestinos. Os EUA iniciaram o lançamento aéreo de alimentos em Gaza , após um ataque que matou mais de 100 palestinos que buscavam por comida na região.

A vice-presidente dos EUA, Kamala Harris, pediu a implementação do cessar-fogo e deve se reunir com Benny Gantz, ex-general que faz parte do gabinete de guerra. O militar é rival do premiê israelense, Binyamin Netanyahu.

Netanyahu se irritou com a viagem de Gantz aos EUA sem sua autorização. Analistas afirmam que a visita, a convite do governo americano, é um desagravo da Casa Branca à conduta de Netanyahu na guerra.
* Com informações do New York Times

Deixe comentário

× Fale com a Showtime