Covid já matou mais que a dengue na cidade de São Paulo em 2024

Com a alta nos casos de Covid-19, as mortes pelo vírus são maiores que as de dengue na cidade de São Paulo neste ano. Pelo menos 25 pessoas já morreram pelo coronavírus, contra apenas um caso por dengue na capital. Os dados são da última atualização, ocorrida na quarta-feira (21).

Desde o início do ano, a cidade registrou 17.413 casos. Sendo 10.369, em fevereiro, e 7.044 mil casos em janeiro, segundo o painel de monitoramento da doença pela prefeitura da capital.

Segundo a plataforma Info Tracker, desenvolvida por pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP) e da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), a cidade de São Paulo registrou um aumento de 140% no número de casos positivos pelo vírus.

A análise, com base nos dados da Prefeitura de São Paulo, mostra que a média móvel semanal de casos de Covid na capital saltou de 168, em 21 de janeiro, para 404, no último dia 4 de fevereiro. O crescimento no número de casos pode ser explicado pelas festas de fim de ano e o Carnaval, somadas às novas subvariantes do vírus.

Sintomas similares
Alguns sintomas da Covid são similares ao da dengue. Ambas as doenças apresentam:

Dor de cabeça
Febre
Dor muscular
Diarreia
Já a dengue apresenta sintoma diferente da Covid, como dores atrás dos olhos. Para identificar, é necessário realizar um teste para obter um tratamento adequado.

Automedicação
Segundo o Ministério da Saúde, a dengue não possui um tratamento específico, ou seja, os medicamentos são usados para amenizar os sintomas da doença. Porém existem medicamentos que, de acordo com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), são contraindicados em casos de suspeita do vírus, pois pode agravar e evoluir o quadro clínico da doença.

Anti-inflamatórios ou remédios a base de ácido acetilsalicílico, alguns conhecidos como: indometacina, ibuprofeno, diclofenaco, piroxicam, naproxen, sulfinpirazona, fenilbutazona, sulindac e diflunisal. E medicamentos de corticóides, como: prednisona, prednisolona , dexametasona e hidrocortisona, devem ser evitados, pois podem aumentar a tendência hemorrágica nos casos na dengue.

Vacinas
A vacina da dengue está disponível pelo Sistema Único de saúde para crianças de 10 a 14 anos em algumas cidades do estado de São Paulo. São recomendadas duas doses com intervalo de três meses entre elas. O imunizante contra dengue também é encontrado na rede particular, para pessoas de 4 e 60 anos

A vacina contra Covid já oferecida pela rede pública.

Deixe comentário

× Fale com a Showtime